O Brasil é um dos países que reúne o maior número de pessoas deprimidas do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa doença, que gera sintomas como a tristeza, desânimo, irritabilidade e solidão, leva a uma busca por tratamentos e, nesse caso, a terapia de vidas passadas pode ser muito útil.

A terapia reencarnacionista busca na tese das vidas passadas respostas para os problemas atuais. Em muitos casos, ao quebrar essas barreiras, o paciente consegue resolver dilemas atuais e melhorar sua qualidade de vida. Os sintomas da depressão desaparecem e ele passa a enxergar a vida com mais positividade.

terapia vidas passadas

Quer saber como a terapia de vidas passadas pode te ajudar? A gente te explica!

Como funciona a terapia de vidas passadas



O estudo que avalia vidas passadas não pertence a religiões. Trata-se de uma lei biológica, que advém de pesquisas científicas sobre a reencarnação.

Essa abordagem acrescenta a dimensão espiritual do ser humano, considerando as dezenas de vidas pelas quais alguém passou. A partir daí é que criamos nossa personalidade, que é decorrente das escolhas que fazemos e das decisões que tomamos.

Dores, traumas, atitudes, fobias e emoções são decorrentes de nosso mundo interior e seus “fantasmas”. A terapia de vidas passadas para curar depressão busca recordar o passado e fazer com que o paciente compreenda as conexões com o presente, os padrões de comportamento e se afaste deles.

O trabalho com base na reencarnação não considera a depressão como doença, mas, sim, avalia as causas que estão por trás desse problema. Em geral, pessoas depressivas apresentam traços de personalidade pré-mórbida, ou seja, em geral gostam das coisas do seu jeito, não têm habilidade cognitiva e comportamental para lidar com adversidades e, por fim, sentem raiva.

Em geral, o depressivo pega toda a raiva que sente e a engole. Ele internaliza a agressividade, gerando baixa autoestima e sentimento de desvalorização. Nessas situações, em geral, a culpa é dos outros e nunca dele mesmo.

O que acontece em uma sessão de terapia de vidas passadas



Em uma sessão de terapia de vidas passadas, o paciente fica consciente e com domínio da situação.

Por meio de técnicas que um especialista aplica, a pessoa acessa a memória inconsciente com relaxamento. Depois, com a consciência, o paciente reflete e entende o que precisa mudar em seu comportamento.

O número de sessões recomendadas varia de acordo com cada paciente. Em geral, esse tratamento pede um acompanhamento de seis meses a um ano, o que totaliza de dez a 12 sessões de regressão, sempre quinzenais.

A eficiência da terapia de vidas passadas já foi comprovada em diversos estudos. Portanto, se você sofre de depressão, vale a pena buscar a ajuda de um especialista e experimentar seus benefícios.

< Voltar